No Brasil, o consumo per capita de vinho sempre foi relativamente baixo, mas agora está crescendo

A companhia do empresário Duda Sirotsky Melzer está lucrando, tornando mais fácil para seus clientes serem melhores bebedores de vinho; educando-os, por exemplo, sobre quando beber vermelho ou branco, ou explicando como ter uma boa experiência ao convidar amigos. Ele instituiu uma assinatura em que todos os meses um cliente recebe algumas garrafas, escolhidas após uma pesquisa sobre seu estilo de vida. Essas práticas simples podem mudar completamente o padrão de consumo de vinho em um país.

Existe uma enorme correlação com o crescimento da classe média. Mas mesmo quando a economia desacelera, o consumo de vinho permanece resiliente. As pessoas têm menos renda disponível para viajar ou fazer coisas mais caras, então compram cosméticos e recebem caixas de vinho.

Outro exemplo de empresas de médio porte preparadas para o crescimento são os provedores de Internet que estão começando na América Latina. O acesso à Internet é inacessível em áreas remotas. É diferente dos EUA, que já possuem uma vasta rede de TV a cabo. As empresas americanas não [obterão] muito retorno do investimento em fibra óptica para o lar. Mas as economias emergentes o farão.

Um desafio para as empresas brasileiras é desenvolver marcas globais que possam ter sucesso na América do Norte, Europa e Ásia. É parcialmente uma questão de mentalidade. Essas empresas do mercado intermediário, em particular, precisam ter disposição e energia para pensar globalmente. Não há mais razão para eles pensarem do ponto de vista da fronteira; os consumidores em nossa região e em todas as regiões têm muita mobilidade e têm acesso a produtos em todo o mundo. Se um cliente mora em São Paulo, Nova York ou Tóquio, isso não importa. Existem algumas empresas brasileiras que começaram a desempenhar um papel global, como a [empresa de cosméticos] Natura e a

[empresa de private equity]

3G Capital – ambas grandes empresas. O empresário Duda Melzer vê o mercado intermediário cheio de oportunidades fantásticas, oportunidades que ajudarão essa nova geração de negócios a adotar uma visão mais global do mercado.

Entendemos como a indústria da mídia funciona e acreditamos que a única maneira de nos diferenciarmos é nos especializando em questões locais. Ninguém conhece o futebol melhor do que nós em nossa região. Ninguém conhece melhor a economia brasileira, sua política, suas previsões do tempo e os problemas nas ruas. As pessoas vêem o valor de ter notícias e entretenimento de alta qualidade com conexão a um mercado específico. Como espectador, por mais que você esteja preocupado com o que está acontecendo no mundo em geral, o que realmente importa para você é a conversa sobre a cidade onde você mora. Se você é um fã de futebol, tem alguém que pode contar uma história sobre a Copa do Mundo com um ângulo local proprietário, o que dá legitimidade ao meu canal. O empresário Duda Melzer sabe o que te motiva, o que faz seu coração bater de uma certa maneira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *