Ansiedade: um mal da modernidade

 

Resultado de imagem para ANSIEDADE

Em um mundo cada vez mais competitivo,cheio de informações e muita pressa, torna-se diariamente mais comum as pessoas serem acometidas pela ansiedade.

Este mal que afeta uma grande quantidade de pessoas, já faz parte da rotina de milhares de pessoas pelo mundo.

A doença

Sendo uma característica biológica típica dos seres humanos e animais, a ansiedade surge quando nos encontramos diante de situações reais ou imaginárias que podem nos colocar em ameaça ou perigo.

Portanto, nos tornamos escravos de expectativas e, estas expectativas podem gerir nosso dia-a-dia, nossa saúde, nossa qualidade de vida.

Sintomas

Cada dia mais presente em nosso cotidiano, entre outros, a ansiedade pode se apresentar por meio de :

Vertigens,vômitos,dificuldades para dormir,falta de ar,dores no peito, palpitações,boca seca,insônia,sensação de nó na garganta,confusão, tensão muscular…

Dores crônicas

Dependendo do nível de ansiedade, o corpo pode desenvolver vários sintomas que podem, até mesmo comprometer nosso desempenho no trabalho e gerar dores físicas.

Recentemente, o site exame relatou o resultado de um estudo que aponta a ansiedade e transtornos de humor como causadores de doenças crônicas.

O estudo ainda aponta a associação da ansiedade com doenças respiratórias, artrite,doenças cardiovasculares e hipertensão.

Tratamento

Psicoterapia e ansiolíticos recomendados por um especialista, são bastante recomendados nos casos de ansiedade e depressão.

Há também um tratamento complementar capaz de produzir bons resultados diante de males assim.

Em março de 2017 o governo federal incluiu no SUS( Sistema Único de Saúde) por meio de uma Portaria Ministério da Saúde, publicada no Diário Oficial da União a oferta de práticas Integrativas e Complementares como a meditação, musicoterapia, arteterapia, reflexoterapia, Yoga, Reiki terapia comunitária integrativa e outras.

A inclusão de tais práticas agrada aos adeptos de busca alternativa para cura dos males das urgências que acometem a vida moderna. Algumas são práticas milenares bastante difundidas e praticadas no oriente.

Portanto, seja qual for o grau de sua ansiedade, vale a pena investir no bem-estar de sua mente, fazer uma pausa para respirar de forma consciente e tranquila e buscar ajuda de um médico especialista.

 

STF diz ser inconstitucional incluir ICMS sobre PIS e COFINS – reporta Ricardo Tosto

Image result for Ricardo Tosto

 

Não é novidade para o Supremo Tribunal Federal (STF), sendo ele a maior instância do poder judiciário nacional, a abordagem de discussões que têm como pauta a composição dos cálculos relacionados às contribuições financeiras do país.

De acordo com o experiente advogado brasileiro Ricardo Tosto, em meados de março, após muitos anos a espera de uma decisão, o STF julgou o RE 574.706/PR, que se refere à inclusão do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) sobre a base de cálculo do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), onde, diante da maioria dos votos alcançados pelos integrantes da Suprema Corte, concebeu como inconstitucional a inclusão do imposto sobre as citadas contribuições.

O veredito decretado pelo STF ocorreu na sede da repercussão geral, em recurso extraordinário. Por não haver uma posição declarada e definitiva quanto aos efeitos da decisão tomada, não era possível prever as diferentes maneiras que os contribuintes seriam afetados, entretanto, era de conhecimento geral que este parecer afetaria diretamente grande parte dos contribuintes brasileiros, reportou Ricardo Tosto.

Adoção de medidas judiciais

Inicialmente, para aqueles contribuintes que optaram por investir nas ações judiciais buscando o cancelamento da inserção do ICMS nos cálculos da COFINS e do PIS, como também a compensação da quantia recolhida indevidamente, mas que se encontravam com seus recursos suspensos, segundo o recente entendimento do STF, agora poderão ter suas questões atendidas. Porém, em relação ao pagamento indevido, em respeito ao artigo 170-A, do Código Tributário Nacional, será necessário esperar o trânsito em julgado da decisão judicial.

Segundo Ricardo Tosto, naquele momento, não era possível informar com precisão se os contribuintes que não ajuizaram medidas judiciais até antes da decisão da Suprema Corte poderiam requerer o reconhecimento da não inclusão do ICMS sobre o PIS e a COFINS referentes aos exercícios próximos ao vencimento, juntamente com o pleito de ressarcimento dos recolhimentos indébitos.

Visão da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN)

Tendo em vista os prejuízos futuros que serão causados aos cofres públicos por meio da queda na arrecadação anual, cuja estimativa chega em R$20 bilhões ao ano, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) reiterou sua intenção em recorrer ao Supremo Tribunal Federal sobre sua decisão oficial. O intuito de apresentar embargos declaratórios é o de requerer a postergação da modulação dos efeitos da sentença para o início de 2018, ressaltou Ricardo Tosto. Para a PGFN, caso a aplicação da mudança viesse a ser aplicada ainda em 2017, a União poderia arcar com uma redução de aproximadamente R$100 bilhões de reais na arrecadação, sendo esta quantia referente à compensação de recolhimento indébito do ano de 2016.

Ainda conforme as informações transmitidas ao advogado Ricardo Tosto, somente após a modulação dos efeitos ser julgada em caráter permanente e o trânsito em julgado do “leading case” acontecer, poderá ser oferecido aos cidadãos uma definição mais clara e precisa sobre os efeitos da decisão para os contribuintes do país.

Casal ganha três vezes mais depois de largar emprego e começar a viajar o mundo

 

O casal Gabriel e Lívia Lorenzi, residentes da cidade de São Paulo, decidiram criar um blog para compartilhar suas experiências logo quando retornaram de sua viagem feita para Miami e Orlando, nos Estados Unidos, em 2008. Nessa época, ela cursava biologia e ele, publicidade, no Mackenzie. O propósito do blog era ajudar os brasileiros que tinha planos de viagem para os lugares onde eles haviam visitado. O blog chamado Dicas da Flórida teve um investimento inicial de cerca de R$ 1 mil.

Depois do primeiro blog, surgiu o segundo, no ano seguinte, quando o casal viajou novamente para os Estados Unidos, mas desta vez em um intercâmbio na Califórnia. Esse novo blog recebeu o nome de Dicas de Las Vegas. E depois disso, e negócio não teve mais fim. Hoje, a empresa do casal, o Grupo Dicas, conta com 21 blogs de viagem, que contém cerca de 12 milhões de visitantes anuais.

Lívia e Gabriel tiveram de deixar as carreiras antigas de lado para seguir com o novo negócio. Gabriel, além de cursar publicidade, era coordenador de marketing digital na rede de bancos Itaú. Já Lívia, era pesquisadora clínica na empresa de cosméticos Natura. Estima-se que hoje em dia eles faturem até três vezes mais do que antigamente.

Depois de passaram pelos Estados Unidos, o casal também visitou França, Espanha, Alemanha, Portugal, Inglaterra, Holanda, Canadá, Argentina, Chile e Itália. Além dos blogs sobre os países visitados, eles também criaram blogs sobre aluguel de carros, e blogs que abrangem um continente todo, como Europa e América. Conheça mais sobre o trabalho deles aqui.

Mesmo em meia à crise política e financeira, os números da empresa do casal continuam a crescer. Somente em 2016, os números subiram 36% em ralação ao ano de 2015. A previsão que eles possuem para este ano é que o crescimento seja de cerca de 30%.

Somatizando ao grande números de visitas que os blog recebem, eles também disponibilizam venda de chips internacionais, reservas em hotéis, aluguéis de veículos, seguros de viagens, etc.

O casal lembra que deixar o emprego antigo foi uma decisão difícil de ser tomada, porém, feita em conjunto e com planejamento. Gabriel afirma que ambos queriam abrir uma empresa própria e ingressar no ramo de viagens e turismo, e que a decisão demandou muita coragem e dedicação.