Empréstimos com garantia podem impulsionar seu negócio

A degradação da nossa economia está gerando uma busca contínua por novas oportunidades de emprego, além do aumento de pessoas que querem iniciar o seu próprio negócio.

Novos empreendedores encontram algumas dificuldades em seu caminho e a mais comum é manter um bom capital de giro nos primeiros meses em que a sua empresa estará atuando, já que aprender a investir seguramente pode ser mais complicado do que alguns imaginam.

Uma excelente opção para manter um bom capital de giro é o empréstimo com garantia, já que ele possibilita também uma chance de investimento para a empresa, melhorando assim a qualidade do seu negócio.

Ao buscar por bancos para pedir este empréstimo, você pode encontrar juros muito altos, e verá que instituições que forneçam a possibilidade de deixar algo como garantia são a melhor escolha, já que deixando uma garantia, você poderá solicitar juros mais baixos.

O empréstimo com garantia fornece o crédito que você precisa se deixar um imóvel ou veículo como segurança para que haja menos riscos em sua transação, deixando assim os juros menores e o tempo de pagamento da sua dívida maior.

Um exemplo seria deixar um carro para a garantia do empréstimo, já que assim você teria uma média de juros de até 1,79 por cento com 48 meses para realizar a quitação da dívida.

A garantia estará listada no contrato do empréstimo, pois caso seja constatada a inadimplência da dívida, o banco poderá vendê-la para que assim não haja nenhum prejuízo para a instituição.

Entender que este tipo de empréstimo é a melhor escolha pode salvar o seu negócio, já que empréstimos convencionais podem gerar juros altíssimos e apenas endividá-lo e tirar as suas finanças do controle.

Negócios tendem a aumentar seu valor ao longo do tempo e de acordo com os investimentos que você fizer na propriedade, portanto procure juros mais baixos para que possa lucrar mais e deixar as suas dívidas controladas.

Unesco escolhe 2019 como Ano Internacional das Línguas Indígenas

A Unesco escolheu 2019 como o ano Internacional das Línguas Indígenas. Quase 500 mil pessoas se comunicam por idiomas regionalizados no Brasil, mas a tendência é que esses idiomas desapareçam em 50 ou 100 anos de acordo com os estudiosos no assunto.

Muito se engana quem pensa que o Brasil é um país de idioma único. Além da língua portuguesa, ainda existem 170 das mais de 1.000 línguas indígenas que existiam aqui antes da colonização portuguesa.

Trabalhos como o do Grupo Idiomas que contam com o apoio de especialistas, ajudam na preservação das línguas indígenas que ainda restam. Nos últimos 10 anos pesquisadores vêm trabalhando no idioma de diversas etnias existentes no país, com a educação de professores dentro das aldeias e universidades, além de colaborar com a produção de material didático para os povos indígenas.

Por considerar a tecnologia como uma ferramenta fundamental para esse processo, o grupo criou o primeiro site do Brasil totalmente em língua indígena. “Existe a internet, os computadores que são acessados por boa parte das aldeias indígenas e fazem as notícias chegarem em qualquer lugar do mundo. Uma parte deste trabalho de cultivar o registro histórico dessas línguas nos dias de hoje acontece abrindo espaço para que elas sejam pesquisadas na internet”, explica o professor da Unicamp Wilmar D’Angelis.

O ano de 2019 foi escolhido pela Unesco como ano internacional das línguas indígenas. Para marcar essa data, o Grupo de Estudo da Universidade de Campinas irá lançar alguns trabalhos importantes. Entre eles um dicionário com Kaingang Paulista, um dialeto indígena que vem sendo redescoberto pelos brasileiros. “Um dialeto que estava em desaparecimento e hoje os professores estão se esforçando e retomando o trabalho de disseminar esse dialeto nas escolas”, explica Wilmar.

A população indígena do país conta hoje com cerca de 900 mil representantes, mas menos da metade deles estão aptos para utilizar os idiomas indígenas. Sem iniciativas como a do professor Wilmar, as estimativas de que essas línguas desapareçam em 50 ou 100 anos podem se confirmar.

“Perder esse legado é enfraquecer a diversidade do país de que os brasileiros tantos se orgulham. Os povos indígenas têm coisas para nos contar sobre sua história, sobre alternativas possíveis, sobre conhecimentos medicinais, sobre formas de lidar com as ocorrências da vida, sobre sua experiência em geral”, reforça Wilmar.

Vantagens das empresas sociais

As empresas sociais tendem a operar com o propósito de criar valor para a sociedade e também gerar renda (se não riqueza). Como regra geral, as soluções que eles oferecem são supostamente inovadoras, únicas, pessoas e meio ambiente; Custo-eficácia também é uma consideração enorme. Todos estes são desafios para a sustentabilidade das empresas sociais, mas os que são capazes de dimensionar estes são os que são capazes de criar um enorme impacto! São as empresas que são vantajosas para a sociedade, as pessoas e o meio ambiente.

Como as empresas sociais geralmente lidam com pessoas que vivem na base da pirâmide, elas são aquelas que são beneficiadas para se beneficiar enormemente das primeiras. Em outras palavras, as empresas sociais são benéficas para os pobres, geralmente fornecendo-lhes meios de subsistência.

Como as empresas sociais não funcionam normalmente da maneira como as configurações corporativas ou as empresas privadas funcionam, elas oferecem um ambiente de trabalho flexível, que é do agrado de muitos grupos de pessoas . Este emprego pode ser de curto e longo prazo, ou pode ser especialmente direcionado para um grupo de trabalho específico ou uma comunidade geográfica ou para pessoas com deficiência. A Associação de Mulheres Autônomas (SEWA), por exemplo, oferece vários tipos de assistência a mulheres pobres autônomas.

Há vantagens de uma empresa social que são específicas do empreendedor como:

Os empreendedores sociais acham mais fácil levantar capital. Existem enormes incentivos e esquemas do governo para o mesmo. Como a indústria de investimentos aqui é ética, é mais fácil levantar capital abaixo das taxas de mercado.

Marketing e promoção para essas organizações também é muito fácil. Como um problema social está sendo resolvido com uma solução, é mais fácil atrair a atenção das pessoas e da mídia. O grau de publicidade geralmente depende do grau de exclusividade da solução.

É mais fácil obter apoio de indivíduos com ideias semelhantes, uma vez que existe um lado social para a empresa. Também é mais fácil levar as pessoas a bordo com salários mais baixos do que em comparação a outras indústrias.

Da mesma forma, existem vantagens que são específicas para a economia, o ambiente, a sociedade e as pessoas envolvidas . Alguns deles são como abaixo:

Serviços em qualquer seção que podem ser oferecidos são personalizados melhor para atender às necessidades do indivíduo ou o problema. Isso também é projetado em harmonia com todos os outros sistemas, como o ambiente, a sociedade ou o povo.

A rentabilidade é outra vantagem de uma empresa social. As soluções oferecidas por essas organizações na forma de produtos ou serviços são razoáveis ​​em comparação com o mesmo serviço prestado por uma organização com fins lucrativos. Não é de admirar que as comodidades básicas, como saúde, educação, etc., tenham se tornado muito acessíveis para as pessoas em todo o mundo com a ajuda dessas instituições. O microcrédito, por exemplo, hoje atende não aos pobres, mas aos mais pobres!

Carlos Alberto de Oliveira Andrade é prestigiado como o empresário do ano do setor automotivo

Um dos empresários considerado mais importantes no segmento automotivo nacional, Carlos Alberto de Oliveira Andrade, foi condecorado com o prêmio de melhor executivo de 2019. Tal fato ocorreu no dia 26 de novembro, sendo promovido pela revista AutoEsporte, da Editora Globo.

A ocasião foi marcada pela fala do empresário, “Estou me sentindo muito feliz e honrado com esta emocionante homenagem,” acrescentou ainda “ela concretiza a certeza de que estamos no caminho certo, pois todos sabem do orgulho e empenho que a CAOA tem nas relações com todas as nossas parceiras.” Afirmando, por fim, “Por isso, é importante lembrar que não só estamos traduzindo em realidade o sonho que tínhamos de lançar uma nova marca de carros com meu nome e uma montadora 100% nacional com tecnologias avançadíssimas alavancadas nesta parceria sino-brasileira, mas ao mesmo tempo estamos trabalhando para reforçar, a cada dia, nossas antigas relações e tornar o CAOA o maior conglomerado de distribuição e produção de veículos no Brasil.”

A preferência por Carlos Alberto de Oliveira Andrade como o escolhido do Ano 2019 se sucedeu em um ano enérgico e relevante para toda indústria automotiva e, especialmente para a CAOA, que, no final do ano passado, comunicou publicamente o acordo de cooperação tecnológica e comercial com a Chery, que viabilizou a criação da CAOA CHERY, nova montadora nacional.

No início da sua trajetória, a CAOA CHERY já registrou expressivo aumento de vendas, o que facilitou elevar mais sua classificação na participação de mercado saltando da 20a para a 15ª posição de marcas no Brasil, com esperança de galgar colocações ainda melhores no lançamento dos próximos produtos.

O fundador e atual presidente da CAOA, montadora e distribuidora do setor automotivo, Carlos Alberto de Oliveira Andrade é formado em Medicina. Iniciou suas atividades no ramo automotivo em 1979, de maneira inusitada. Naquela época, quando tentou adquirir um Ford Landau, não chegou a receber o veículo devido a concessionária ter falido. Disposto a empreender, não hesitou em sugerir que a revenda lhe fosse repassada para compensar o pagamento feito pelo Landau. Dessa forma, fundou a CAOA, e passou a administrar a concessionária Ford. Em menos de seis anos, a CAOA tornou-se a maior revendedora Ford da América Latina.

Em 1998, a empresa de Carlos Alberto de Oliveira Andrade passou a ser importadora oficial da Subaru. Depois disso, em 1999, foi a vez da Hyundai que, contando com a representação da CAOA, realizou um excelente trabalho exemplar de reposicionamento da marca e investimentos maciços em Marketing, Vendas, Pós-Venda, entre outros -, permitindo a Hyundai CAOA conquistar excelentes níveis de vendas no mercado brasileiro.

Em 2007, a empresa inaugurou a CAOA Montadora. O empreendimento de R$ 1,2 bilhão, erguido em Anápolis (DAIA), foi construído com recursos próprios desse visionário. Com processos produtivos completos, a fábrica da CAOA Montadora, que já completou mais de uma década de atividades, possui excelentes índices de qualidade, com elevado grau de automatização.

Depois disso, mais especificamente no final de 2017, a CAOA e a Chery se uniram para lançar a CAOA Chery. A empresa de Carlos Alberto de Oliveira Andrade ultrapassou um milhão de veículos vendidos no Brasil, estando presente em todas as regiões do País.

Como começar a empreender?

Empreender é um dos principais sonhos de inúmeras pessoas, por remeter a ideia de independência e de liberdade profissional. Entretanto, empreender é muito mais do que isso, e requer esforço, empenho e profissionalização da pessoa que tenciona investir nesta área. Justamente por depender de tantos fatores, muitas pessoas ficam confusas ou indecisas de como começar e quais sãos os primeiros passos a se tomar.Para isso, este guia que te dá um norte das principais ações para ser bem sucedido nesta área.

O primeiro passo de todos é se planejar. Pode parecer óbvio, mas inúmeras pessoas começam a investir no impulso e por isso podem ter inúmeros problemas pela frente pela falta de planejamento, por isso, antes de qualquer coisa se prepare. Coloque todos os seus gastos pessoais em uma planilha, e se planeje para conseguir manter este padrão por um bom tempo, afinal, demora para que venha um retorno financeiro de tudo o que foi investido.

Depois disso, também é necessário idealizar o tipo de negócio que você pretende investir, para assim, começar a pesquisar e ter uma noção real dos investimentos necessários para que o empreendimento se torne concreto.

Sabendo o valor intermediário necessário também é necessário continuar pesquisando, vendo notícias e conversando com empresários que já atuem na área que você pretende adentrar, para assim conhecer a fundo a área, conhecer os principais percalços pelos quais os outros empresários passaram e óbvio, ir se acostumando com a concorrência, para assim você conseguir pensar em diferenciais e novidades que a sua marca pode trazer para o mercado, e assim se destacar.

Uma outra coisa necessária é estudar. Sabemos que o estudo é essencial para todas as etapas da nossa vida, por isso, para quem tenciona empreender também não é menos importante. Caso a ‘grana’ esteja curta, procure por vídeos gratuitos ou cursos livres e gratuitos disponibilizados em inúmeras plataformas, que assim podem te auxiliar e a entender cada vez mais sobre esse o mundo que pretende entrar. Porém, caso sobre um ‘dinheirinho’ não hesite em investir esse dinheiro na sua educação e até na profissionalização do seu pessoal, afinal, na prática, é isso que fará a diferença no seu dia a dia e nos seus lucros.

Segundo cientistas, talvez haja microrganismos no subsolo de Marte.

Para encontrar vida em Marte, os cientistas podem precisar desistir de explorar a superfície e “ir fundo”.

Normalmente, nas notícias que vemos, as missões de Marte em busca de sinais de vida visam a superfície do planeta, em locais onde há sinais de água antiga (um indicador confiável de onde a vida é encontrada na Terra). Mas enquanto nenhuma vida apareceu na superfície de Marte, pode haver uma abundância de marcianos microbianos se reunindo no subsolo, de acordo com pesquisa apresentada em 11 de dezembro na reunião anual da União Geofísica Americana (AGU).

Nas últimas décadas, explorações subterrâneas na Terra revelaram a chamada biosfera profunda – um ambiente subterrâneo repleto de microorganismos. E os cientistas suspeitam que uma zona similarmente rica em biologia também esteja prosperando sob a superfície de Marte.

Bilhões de anos atrás, quando os planetas do nosso sistema solar eram jovens, a superfície de Marte era provavelmente muito semelhante à da Terra, seu vizinho rochoso. Isso mudou quando Marte perdeu seu campo magnético, que o expôs ao bombardeio de radiação intensa que teria tornado a sobrevivência aérea extremamente desafiadora, disse o cientista Michalski.

No entanto, é possível que a vida já estivesse “cozinhando” em Marte antes que isso acontecesse. Os cientistas acreditam que a vida apareceu pela primeira vez na Terra entre 3,8 bilhões e 3,9 bilhões de anos atrás, quando as condições em alguns pontos se assemelhavam aos ambientes hidrotermais atuais – muito parecido com Marte na época. Talvez, a vida tenha surgido em Marte ao mesmo tempo em que estava tomando forma na Terra, mas adaptada exclusivamente à vida subterrânea, disse Michalski.

“A vida poderia ter surgido nesses ambientes hidrotermais e ter sobrevivido no subsolo por um bom tempo”, disse ele.

E se a biosfera profunda da Terra é uma indicação, as comunidades microbianas subterrâneas marcianas poderiam ser excepcionalmente ricas e diversificadas. A biosfera profunda da Terra foi descoberta pela primeira vez há apenas 30 anos, e estimativas desde então sugerem que esses microrganismos que vivem nas profundezas constituem quase metade de toda a vida no planeta, disse Michalski à Live Science.

Compreender a importância dos ativos digitais

Na era industrial, você era definido pelo número e tamanho de seus ativos físicos e jurídico. Mais edifícios, mais terra e mais estoque. Nas economias do conhecimento, isso se torna um fardo. Remove a flexibilidade e a capacidade de mudar.

Seus ativos digitais estão se tornando o novo tesouro. Tráfego da Web, listas de e-mail e suas redes sociais fazem parte desse mix.

Pense global: Empreendedores digitais têm uma mentalidade que não é restrita por fronteiras geopolíticas. Eles entendem que o barulho é maior, mas os nichos são maiores. Porque eles são globais.

Quantos queijeiros vivem na sua cidade? Não muitos eu arriscaria um palpite. Quantos entre 8 bilhões de pessoas? Vamos pensar em 7 figuras. Pequenos nichos ontem que não puderam sustentar um negócio viável agora são uma oportunidade de negócio. A pequena ideia de ontem é hoje o grande negócio.

Dê as suas ideias de graça: No passado, doar suas idéias de graça era visto como tolo e perigoso. O risco foi percebido como a doação de sua “propriedade intelectual” para seus concorrentes. Empresas digitais como a Hubspot provaram que esse mito é falso.

Compartilhar suas ideias gera credibilidade e confiança.

Revelar a ideia é uma coisa, mas executá-la é outra. A verdade rude é que suas idéias não são tão novas e seus concorrentes já sabem.

Abraçar o marketing digital: O frio chamando que nós conhecíamos (e amamos odiar) está morrendo. E não tão cedo. As impressões eram a métrica antiga. A ação mensurável é o novo dado de ouro. A web social rica em conteúdo e digital nos deu outras ferramentas e táticas.

Mas muitos estão presos nos hábitos de marketing do passado. Métricas de vaidade que não têm nenhum significado real, exceto que alguém talvez tenha visto sua marca mencionada.

Use as mentes mais inteligentes: O velho modelo de todos os seus funcionários, na folha de pagamento e sob o mesmo teto, começou a se desintegrar. Empresas multimilionárias como a 37 Signals (criadores do software BaseCamp) e muitas outras quebraram esse modelo.

Ferramentas como o Skype, o Google Docs e o Dropbox forneceram as ferramentas para negócios globais.

Como ser um empreendedor

Empreendedor social primeiro identificar o problema que é enfrentado pela sociedade. Ou eles o encararam diretamente ou descobriram enquanto trabalhavam ou em nptícias. Então eles analisam essas questões e problemas sociais. Eles tentam encontrar o problema real e fazer pesquisa, análise e levantamento sobre ele. Depois disso, eles vêm com a solução e começam a trabalhar nela.

Essas soluções são projetadas de tal forma que podem trazer mudanças positivas na vida das pessoas, sua mentalidade e sua atitude em relação ao problema. Depois disso, eles trazem pessoas que têm interesse semelhante e estão prontas para trabalhar nele. Eles também colaboram com várias outras instituições, agências governamentais, voluntários, ONGs, assistentes sociais, líderes, capitalistas de risco e outros empreendedores sociais. Dessa forma, eles podem expandir sua rede e seu trabalho.

Este é um processo contínuo, pois tem desenvolvimento de idéias para feedback e avaliação. Essas mudanças são feitas depois de algum tempo. Não virá facilmente na sociedade. Depois de algum tempo eles se tornam líder, modelo, inspiração e motivação para os muitos futuros empreendedores sociais.

O empreendedor social está enfrentando muitos desafios. Eles são a pessoa visionária e têm visão para o seu objetivo e sociedade. Investidores e pessoas não são capazes de ver sua visão e seu impacto no futuro, portanto, eles estão enfrentando problemas na rejeição de idéias de pessoas e do governo.

Menos investidor está pronto para investir em seu projeto, pois não consegue enxergar seu impacto ou tem menos retorno sobre o investimento. Os empregados da área de empreendedorismo social são menos compensados. Eles têm menos salário ou ganhar como comparar a casa corporativa lucrativa ou o empresário.

Recursos e pessoas apaixonadas estão menos disponíveis para o projeto de empreendedorismo social na fase inicial. É o processo de tomada de tempo, já que vários estágios estão envolvidos, desde a geração de ideias até a avaliação.

As métricas usuais do empreendedor baseiam-se na geração de receita e na lucratividade, enquanto os empreendedores sociais acreditam no impacto da comunidade. Os empresários são mais capitalistas. Os empreendedores sociais são menos capitalistas. Empreendedor é executado por lucro e vendas. Os empreendedores sociais não são geridos pelo lucro, geralmente trabalham no ponto de equilíbrio.

Quais são as 3 maiores economias do mundo?

Quando se trata das principais economias em todo o mundo, embora a ordem possa mudar ligeiramente de um ano para o outro, os principais tendem a ser os mesmos.

No topo da lista estão os Estados Unidos da América, que, de acordo com a Investopedia, estão à frente desde 1871. Entretanto, como tem sido o caso há alguns anos, a China está ganhando dos EUA, alguns especialistas até alegam que a China já ultrapassou os EUA como a economia número 1 do mundo.

No entanto, indo pelo PIB nominal medido apenas em dólares, os Estados Unidos da America mantêm o seu lugar seguido pela China e pelo Japão. Neste artigo, analisamos as 3 primeiras economias mundiais de acordo com previsões consensuais para o PIB nominal de 2019.

Começando pelos Estados Unidos da America. Apesar dos desafios enfrentados, juntamente com um cenário global em rápida transformação, a capitalização do pais norte americano ainda é a maior do mundo, com uma previsão de PIB nominal superior a US $ 21 trilhões em 2019. A economia dos EUA representa cerca de 20% da produção global. A economia dos EUA apresenta um setor de serviços altamente desenvolvido e tecnologicamente avançado, que responde por cerca de 80% de sua produção. A capitalização dos EUA é dominada por empresas orientadas a serviços em áreas como tecnologia, serviços financeiros, saúde e varejo. Grandes corporações dos EUA também desempenham um papel importante no cenário global, com mais de um quinto das empresas da Fortune Global 500 vindo dos Estados Unidos.

Em segundo lugar vem a China. A economia chinesa passou por um crescimento surpreendente nas últimas décadas que catapultou o país para se tornar a segunda maior economia do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Apesar de pequeno em extensão, em terceiro lugar está o Japão. A capitalização japonesa atualmente ocupa o terceiro lugar em termos de previsão do PIB nominal para chegar a US $ 5,2 trilhões em 2019. Antes da década de 1990, o Japão era o equivalente da China atual, crescendo rapidamente durante os anos 60, 70 e 80. No entanto, desde então, a economia do Japão não tem se estagnado.

Traços de empreendedores de sucesso

Começar um negócio é muito trabalho. Qualquer um que te disser que não está mentindo ou nunca realmente começou um deles. As horas são longas, os sacrifícios são ótimos e você é agredido com novos problemas e desafios todos os dias, aparentemente sem fim. Se você não tem a constituição para resistir a essas coisas, sua empresa pode implodir em você mais rapidamente do que começou.

Claramente, o empreendedorismo não é para todos. Mas como você sabe se é para você? Você deve começar perguntando a si mesmo o que é preciso para ser um líder, porque, na maior parte, você estará fazendo muito do trabalho sozinho. Se você não puder liderar a si mesmo por meio de startups, provavelmente não será capaz de levar seus negócios e futuros funcionários ao crescimento e ao sucesso.

Se você procura um desafio forjado com risco, mas com uma tremenda recompensa potencial, tanto financeira quanto moralmente, você tem algo do que é preciso para ser um empreendedor de sucesso.

Líderes nascem, não são feitos. Você se encontra sendo a pessoa a quem vai a maior parte do tempo? Você encontra pessoas perguntando sua opinião ou para ajudar a orientar ou tomar decisões por elas? Você já esteve em cargos de gerência em toda a sua carreira? Um líder é alguém que valoriza o objetivo em detrimento de qualquer coisa desagradável que o trabalho necessário para chegar lá possa trazer. Mas um líder é mais do que apenas tenaz. Um líder tem fortes habilidades de comunicação e a capacidade de reunir uma equipe de pessoas em direção a um objetivo comum de forma que toda a equipe seja motivada e trabalhe de maneira eficaz para chegar lá em equipe. Um líder ganha a confiança e o respeito de sua equipe, demonstrando qualidades positivas de trabalho e confiança, promovendo um ambiente que prolifera esses valores através da equipe. Um líder que ninguém seguirá não é um líder de absolutamente nada.

Você provavelmente sabe, mesmo sabendo um pouco sobre alguns dos empreendedores de negócios mais notícias sobre famosos da história, que os líderes são tipicamente personalidades bastante intensas.