Compreender a importância dos ativos digitais

Na era industrial, você era definido pelo número e tamanho de seus ativos físicos e jurídico. Mais edifícios, mais terra e mais estoque. Nas economias do conhecimento, isso se torna um fardo. Remove a flexibilidade e a capacidade de mudar.

Seus ativos digitais estão se tornando o novo tesouro. Tráfego da Web, listas de e-mail e suas redes sociais fazem parte desse mix.

Pense global: Empreendedores digitais têm uma mentalidade que não é restrita por fronteiras geopolíticas. Eles entendem que o barulho é maior, mas os nichos são maiores. Porque eles são globais.

Quantos queijeiros vivem na sua cidade? Não muitos eu arriscaria um palpite. Quantos entre 8 bilhões de pessoas? Vamos pensar em 7 figuras. Pequenos nichos ontem que não puderam sustentar um negócio viável agora são uma oportunidade de negócio. A pequena ideia de ontem é hoje o grande negócio.

Dê as suas ideias de graça: No passado, doar suas idéias de graça era visto como tolo e perigoso. O risco foi percebido como a doação de sua “propriedade intelectual” para seus concorrentes. Empresas digitais como a Hubspot provaram que esse mito é falso.

Compartilhar suas ideias gera credibilidade e confiança.

Revelar a ideia é uma coisa, mas executá-la é outra. A verdade rude é que suas idéias não são tão novas e seus concorrentes já sabem.

Abraçar o marketing digital: O frio chamando que nós conhecíamos (e amamos odiar) está morrendo. E não tão cedo. As impressões eram a métrica antiga. A ação mensurável é o novo dado de ouro. A web social rica em conteúdo e digital nos deu outras ferramentas e táticas.

Mas muitos estão presos nos hábitos de marketing do passado. Métricas de vaidade que não têm nenhum significado real, exceto que alguém talvez tenha visto sua marca mencionada.

Use as mentes mais inteligentes: O velho modelo de todos os seus funcionários, na folha de pagamento e sob o mesmo teto, começou a se desintegrar. Empresas multimilionárias como a 37 Signals (criadores do software BaseCamp) e muitas outras quebraram esse modelo.

Ferramentas como o Skype, o Google Docs e o Dropbox forneceram as ferramentas para negócios globais.

Como ser um empreendedor

Empreendedor social primeiro identificar o problema que é enfrentado pela sociedade. Ou eles o encararam diretamente ou descobriram enquanto trabalhavam ou em nptícias. Então eles analisam essas questões e problemas sociais. Eles tentam encontrar o problema real e fazer pesquisa, análise e levantamento sobre ele. Depois disso, eles vêm com a solução e começam a trabalhar nela.

Essas soluções são projetadas de tal forma que podem trazer mudanças positivas na vida das pessoas, sua mentalidade e sua atitude em relação ao problema. Depois disso, eles trazem pessoas que têm interesse semelhante e estão prontas para trabalhar nele. Eles também colaboram com várias outras instituições, agências governamentais, voluntários, ONGs, assistentes sociais, líderes, capitalistas de risco e outros empreendedores sociais. Dessa forma, eles podem expandir sua rede e seu trabalho.

Este é um processo contínuo, pois tem desenvolvimento de idéias para feedback e avaliação. Essas mudanças são feitas depois de algum tempo. Não virá facilmente na sociedade. Depois de algum tempo eles se tornam líder, modelo, inspiração e motivação para os muitos futuros empreendedores sociais.

O empreendedor social está enfrentando muitos desafios. Eles são a pessoa visionária e têm visão para o seu objetivo e sociedade. Investidores e pessoas não são capazes de ver sua visão e seu impacto no futuro, portanto, eles estão enfrentando problemas na rejeição de idéias de pessoas e do governo.

Menos investidor está pronto para investir em seu projeto, pois não consegue enxergar seu impacto ou tem menos retorno sobre o investimento. Os empregados da área de empreendedorismo social são menos compensados. Eles têm menos salário ou ganhar como comparar a casa corporativa lucrativa ou o empresário.

Recursos e pessoas apaixonadas estão menos disponíveis para o projeto de empreendedorismo social na fase inicial. É o processo de tomada de tempo, já que vários estágios estão envolvidos, desde a geração de ideias até a avaliação.

As métricas usuais do empreendedor baseiam-se na geração de receita e na lucratividade, enquanto os empreendedores sociais acreditam no impacto da comunidade. Os empresários são mais capitalistas. Os empreendedores sociais são menos capitalistas. Empreendedor é executado por lucro e vendas. Os empreendedores sociais não são geridos pelo lucro, geralmente trabalham no ponto de equilíbrio.

Quais são as 3 maiores economias do mundo?

Quando se trata das principais economias em todo o mundo, embora a ordem possa mudar ligeiramente de um ano para o outro, os principais tendem a ser os mesmos.

No topo da lista estão os Estados Unidos da América, que, de acordo com a Investopedia, estão à frente desde 1871. Entretanto, como tem sido o caso há alguns anos, a China está ganhando dos EUA, alguns especialistas até alegam que a China já ultrapassou os EUA como a economia número 1 do mundo.

No entanto, indo pelo PIB nominal medido apenas em dólares, os Estados Unidos da America mantêm o seu lugar seguido pela China e pelo Japão. Neste artigo, analisamos as 3 primeiras economias mundiais de acordo com previsões consensuais para o PIB nominal de 2019.

Começando pelos Estados Unidos da America. Apesar dos desafios enfrentados, juntamente com um cenário global em rápida transformação, a capitalização do pais norte americano ainda é a maior do mundo, com uma previsão de PIB nominal superior a US $ 21 trilhões em 2019. A economia dos EUA representa cerca de 20% da produção global. A economia dos EUA apresenta um setor de serviços altamente desenvolvido e tecnologicamente avançado, que responde por cerca de 80% de sua produção. A capitalização dos EUA é dominada por empresas orientadas a serviços em áreas como tecnologia, serviços financeiros, saúde e varejo. Grandes corporações dos EUA também desempenham um papel importante no cenário global, com mais de um quinto das empresas da Fortune Global 500 vindo dos Estados Unidos.

Em segundo lugar vem a China. A economia chinesa passou por um crescimento surpreendente nas últimas décadas que catapultou o país para se tornar a segunda maior economia do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Apesar de pequeno em extensão, em terceiro lugar está o Japão. A capitalização japonesa atualmente ocupa o terceiro lugar em termos de previsão do PIB nominal para chegar a US $ 5,2 trilhões em 2019. Antes da década de 1990, o Japão era o equivalente da China atual, crescendo rapidamente durante os anos 60, 70 e 80. No entanto, desde então, a economia do Japão não tem se estagnado.

Traços de empreendedores de sucesso

Começar um negócio é muito trabalho. Qualquer um que te disser que não está mentindo ou nunca realmente começou um deles. As horas são longas, os sacrifícios são ótimos e você é agredido com novos problemas e desafios todos os dias, aparentemente sem fim. Se você não tem a constituição para resistir a essas coisas, sua empresa pode implodir em você mais rapidamente do que começou.

Claramente, o empreendedorismo não é para todos. Mas como você sabe se é para você? Você deve começar perguntando a si mesmo o que é preciso para ser um líder, porque, na maior parte, você estará fazendo muito do trabalho sozinho. Se você não puder liderar a si mesmo por meio de startups, provavelmente não será capaz de levar seus negócios e futuros funcionários ao crescimento e ao sucesso.

Se você procura um desafio forjado com risco, mas com uma tremenda recompensa potencial, tanto financeira quanto moralmente, você tem algo do que é preciso para ser um empreendedor de sucesso.

Líderes nascem, não são feitos. Você se encontra sendo a pessoa a quem vai a maior parte do tempo? Você encontra pessoas perguntando sua opinião ou para ajudar a orientar ou tomar decisões por elas? Você já esteve em cargos de gerência em toda a sua carreira? Um líder é alguém que valoriza o objetivo em detrimento de qualquer coisa desagradável que o trabalho necessário para chegar lá possa trazer. Mas um líder é mais do que apenas tenaz. Um líder tem fortes habilidades de comunicação e a capacidade de reunir uma equipe de pessoas em direção a um objetivo comum de forma que toda a equipe seja motivada e trabalhe de maneira eficaz para chegar lá em equipe. Um líder ganha a confiança e o respeito de sua equipe, demonstrando qualidades positivas de trabalho e confiança, promovendo um ambiente que prolifera esses valores através da equipe. Um líder que ninguém seguirá não é um líder de absolutamente nada.

Você provavelmente sabe, mesmo sabendo um pouco sobre alguns dos empreendedores de negócios mais notícias sobre famosos da história, que os líderes são tipicamente personalidades bastante intensas.

Como conseguir juntar dinheiro para realizar um projeto?

Viagem dos sonhos, carro, abrir seu próprio negócio: você provavelmente possui algum objetivo futuro que envolve um determinado valor. Mas apesar da vontade de atingir as metas, muitas vezes o processo de juntar dinheiro se torna uma tarefa árdua. Afinal, como viabilizar um projeto e tirá-lo do papel se a conta não fecha no final do mês? Será que é possível conseguir poupar sem aumentar meu rendimento mensal?

Na maioria das vezes, a resposta para essas perguntas é sim. Com organização e atitudes simples, o planejamento das finanças se torna mais fácil e a economia, um hábito. Quer saber como começar a colocar os planos em ação? Então confira!

Defina um valor específico

Juntar dinheiro sem um propósito definido é um erro que muitas pessoas cometem. No começo pode parecer fácil, mas a falta de motivação logo faz com que você acredite que o sacrifício não compensa. Com isso, na primeira oportunidade a economia para de acontecer e a reserva financeira se converte em alguma compra precipitada.

Antes de mais nada, pense em qual dos seus projetos é prioridade e pesquise o valor que precisa para alcançá-lo. Fazendo isso, o ato de poupar vai ficando, inclusive, gradualmente mais prazeroso. Quanto mais próximo do valor estiver, mais ânimo terá para atingi-lo.

Registre seus gastos

Faça uma experiência e tente registrar seus gastos diários durante algum tempo. Sempre que comprar algo, anote em algum lugar. No fim do mês, faça um balanço e uma auto-avaliação: todas as compras foram conscientes? Arrependeu-se de alguma? Poderia ter pesquisado mais sobre algum produto e pagado menos?

Mesmo que faça isso apenas por um mês ou dois, o registro tornará seus gastos mais conscientes. O resultado disso? Menos compras impulsivas e mais economia no fim do mês.

Corte despesas

Será que todas as suas despesas são mesmo necessárias? Será que vale a pena abrir mão de algumas delas em nome de um objetivo maior?

Pode acreditar, pequenas economias conseguem render uma grande diferença no orçamento quando somadas. Experimente trocar algumas viagens curtas de táxi ou aplicativo pela caminhada. Se não estiver usando muito a TV a cabo, veja se o serviço de streaming já não é o suficiente para atender suas necessidades.

Com esses três passos, o ato de juntar dinheiro é mais realista. Depois de segui-los, é só manter o foco naquilo que conquistará e colher os bons resultados da economia feita. Boa sorte!

Museus do Vaticano adotam sistema de integração base em Inteligência Artificial

Notícias sobre o universo tecnológico: Os museus Vaticanos vão se utilizar da Inteligência Artificial para auxiliar na conservação das milhares de obras expostas. Construídos na época da Renascença, os museus expõem obras da Igreja Católica Romana e recebem um público de 6 milhões de pessoas anualmente.

Alinhando a necessidade de preservação e a transformação digital, o sistema será utilizados para integrar os serviços dos museus, reforçar a proteção às obras, e a segurança dos visitantes. A tecnologia permite a integração de todas as aplicações e sistemas de seguranças dos museus do Vaticano em uma só plataforma. Dessa forma é possível ter uma visão ampla e completa do que acontece no interior, além de manter uma gestão otimizada do trânsito de visitantes.

Lançado durante a convenção no Vaticano, o sistema está sendo desenvolvido e aperfeiçoado pela pela Minsait, um braço da Indra que é uma das maiores consultorias de transformação digital do planeta. Trata-se de uma grande inovação no campo da prevenção de perdas para os museus.

Toda a rede será conectada através de uma fibra ótica de 20 km de extensão. O intuito é que ela possa abranger todo o sistema de sensores de controle de fluxo, sistemas de vigilância por vídeo, sistemas anti-incêndio, evacuação de pessoas e demais recursos de segurança.

De acordo com Jorge Aguilera, diretor de administração pública da Minsait, o projeto prevê a evolução dos sistemas de segurança dos Museus Vaticanos. “Embora o local já possua um sistema próprio, novas capacidades serão incorporadas utilizando componentes como big dada e inteligência artificial”, ressalta Jorge. Ele completa que o sistema é capaz de realizar uma fazer a análise comportamental de um visitante em específico, controlar o fluxo de pessoas e assegurar a conservação das obras de arte.

Acervo cultural inestimável

O conglomerado de museus reúne instituições culturais tradicionais para os cristãos, as quais contam com acervo rico de antiguidades colecionadas durante séculos. Os museus permitem o acesso à Capela Sistina, local em que visitantes de todo mundo comparecem para contemplar o teto pintado por Michelangelo, uma das principais obras de arte da Renascença italiana.

Jorge enfatiza que a importância cultural e histórica das obras exigem sistemas inteligentes para segurança, preservação e controle do fluxo de pessoas. “É uma problemática comum nos grandes museus. “Eles têm problemas com a conservação das obras e com a gestão de fluxo visitantes” diz o diretor.

Para ele o maior desafio é lidar com com o grande volume de visitantes. Eles serão monitorados por câmeras sensoriais, que entre outras atribuições, permitem identificar o número de pessoas nas salas, bem como seu tempo de permanência. Dessa forma é possível evitar aglomerações e lotação.

Paraná inicia plantio de soja com expectativa de chuvas nos próximos meses

O Deral (Departamento de Economia Rural) revelou no dia 14 de setembro de 2018 que o Paraná já começou o plantio de soja referente a safra 2018/19. De acordo com o departamento, esse é o plantio mais precoce registrado nos últimos 5 anos para o segundo maior produtor de oleaginosa do país.

O departamento ainda informou que as chuvas registradas no início do mês contribuíram para que o plantio ocorresse tão precocemente. Além disso, as estimativas são de que as chuvas continuem nos próximos meses, o que proporciona ótimas condições para a germinação da soja, além de umidade favorável para o plantio.

Esse início precoce da plantação de soja no Paraná reflete de forma positiva em outros setores de plantios do estado. A produção de milho obtida na segunda safra, por exemplo, tem registrado números cada vez maiores no Paraná. Com um início mais precoce do plantio de soja, o estado conseguirá antecipar o plantio de milho.

O economista Marcelo Garrido do Deral disse sobre o caso: “No ano passado, a chuva demorou a chegar e isso gerou um atraso no plantio e colheita da soja. Esse impacto ainda foi sentido no plantio mais tardio da safrinha de milho”.

O economista do Deral ainda destacou que o plantio precoce da safrinha de milho garante uma melhor perspectiva de resultado da produção, considerando que o período é mais favorável para as chuvas. Se há uma demora maior em plantar a segunda safra de milho, a produção fica mais sujeita a geadas e à falta de chuva. Embora o Paraná tenha registrado bons resultados na safra de milho, a última produção ainda teve um grande percentual de perda por causa da falta de chuva gerada pelo plantio tardio.

Em outras notícias, o Deral estimou a produção de soja da safra 2018/19 para 19,6 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 3% em relação a safra 2017/18. Essa nova projeção está atrás apenas do registro recorde que ocorreu na safra 2016/17, onde o setor produziu 19,9 milhões de toneladas de soja. Já em relação ao plantio do grão, o Deral estima que o Paraná alcance 5,45 milhões de hectares.

Macacos jogadores ajudam cientistas a entender o comportamento de alto risco

Macacos que aprenderam a jogar ajudaram os pesquisadores a identificar uma área chave do cérebro responsável por decisões arriscadas. As notícias sobre a descoberta, que aprofundam o conhecimento dos circuitos neurais subjacentes à preferência de risco em primatas e que podem levar a melhores tratamentos para comportamentos destrutivamente arriscados em humanos, foram publicadas no segundo semestre de 2018 na revista Current Biology em um elaborado estudo sobre o assunto.

“As pessoas acham que a atitude de risco é sempre a mesma para os indivíduos, mas os pesquisadores descobriram que isso não é verdade. Uma pessoa pode ser avessa a riscos em algumas coisas, mas inclinada a arriscar em outras, como, por exemplo, alguém que economiza muito dinheiro e pratica paraquedismo”, disse o co-autor do estudo, Veit Stuphorn, professor associado do Instituto Zanvyl Krieger Mind Brain, da Universidade Johns Hopkins. “A mudança na atitude de risco acontece no córtex pré-frontal de acordo com a descoberta, sendo essa área vista como muito importante para a criação de tratamentos”.

A equipe do Johns Hopkins treinou dois macacos rhesus para jogar contra um computador e ganharem água e suco conforme acertassem. Acontece que os dois macacos eram naturalmente grandes apostadores dispostos a correr riscos, preferindo consistentemente apostas contra as probabilidades e pagamentos potencialmente altos.

Por exemplo, quando ofereceram aos macacos a chance de escolher entre 20% de chance de obter 10 mililitros e 80% de chances para obterem apenas 3 mililitros, eles optaram pela aposta com maior retorno, disse Chen. Mesmo quando não estavam mais com sede, os macacos ainda optaram por apostas arriscadas porque pareciam gostar da empolgação de uma vitória.

“Os macacos deveriam escolher racionalmente os 3 mililitros, mas sempre optam pela opção mais arriscada”, disse Chen. “Eles são como pessoas que gostam de ir em Las Vegas para jogar nos caça-níqueis, onde há uma recompensa muito alta, mas uma chance muito baixa de ganhar.”

Quando os pesquisadores suprimiram a área chave do cérebro ao desativá-la temporariamente, no entanto, o jogo de alto risco quase desapareceu. De repente, os macacos passaram a apostar de 30 a 40% a menos em apostas arriscadas.

“Isso foi realmente inesperado, para encontrar uma seção do cérebro tão especificamente ligada à atitude de risco”, disse Stuphorn. “A preferência do macaco mudou significativamente com a experiência”.

Recursos Econômicos: tipos e definições

A terra é um recurso econômico que inclui todos os recursos físicos naturais, como ouro, ferro, prata, petróleo, etc. Alguns países têm recursos naturais muito ricos e, ao utilizar esses recursos, eles enriquecem sua economia até o pico.

Tal como o desenvolvimento de petróleo e gás do Mar do Norte, na Noruega e na Grã-Bretanha, ou a alta produtividade de uma vasta área de terras agrícolas nos Estados Unidos e no Canadá. Alguns outros países desenvolvidos, como o Japão, possuem recursos econômicos menores . O Japão é a segunda maior economia do mundo, mas depende do petróleo importado.

A entrada humana no processo de produção ou fabricação é conhecida como trabalho . Os trabalhadores têm capacidade de trabalho diferente. A capacidade de trabalho de cada trabalhador é baseada em sua própria formação, educação e experiência de trabalho.

Essa capacidade de trabalho é importante no tamanho e na qualidade da força de trabalho. Para alcançar o crescimento econômico, o aumento na qualidade e no tamanho da força de trabalho é muito essencial.

Em economia, o capital é um termo que significa investimento nos bens de capital. Então, isso pode ser usado para fabricar outros bens e serviços no futuro.

A seguir estão os fatores de capital:

Inclui novas tecnologias, fábricas, edifícios, máquinas e outros equipamentos.

É o estoque de produtos acabados ou componentes ou produtos ou componentes semiacabados. Esses bens ou componentes serão utilizados no futuro próximo.

Novos recursos de construção de capital, maquinário ou tecnologia são comumente usados ​​para melhorar a produtividade do trabalho. Tais como as novas formas de agricultura ajuda a aumentar a produtividade do setor agrícola e dar empregos mais valiosos neste setor que motiva as pessoas a sair para o trabalho.

É um estoque de capital que é usado para manter todo o sistema econômico. Como estradas, ferrovias, aeroportos etc.

O Empreendedor é uma pessoa ou indivíduo que deseja fornecer o produto ao mercado, a fim de obter lucro. Empreendedores geralmente investem seu próprio capital em seus negócios. Esse capital financeiro é geralmente baseado em suas economias e eles assumem riscos vinculados a seus investimentos. Essa tomada de risco pode ser recompensada pelo lucro do negócio. O empreendedorismo é, portanto, um importante recurso econômico .

Museus no Reino Unido fazem homenagens no centenário das sufragistas

Em 2018, completa-se cem anos desde que foi instaurado o “Representation of the People Act”, uma emenda na legislação da Inglaterra que garantiu que as mulheres tivessem o direito votar. Para a comemoração desse centenário, o Reino Unido tem organizado e patrocinado eventos e exposições em sete cidades, Manchester, Londres, Bristol, Leicester, Leeds, Nottingham e Bolton, as quais tiveram uma relação direta com o movimento sufragista do início do século XX.

O movimento sufragista da Inglaterra possui uma relevância enorme para o feminismo e a cultura popular, já tendo sido representado várias vezes no cinema e na televisão. A representação mais recente aconteceu em 2016, no filme “As Sufragistas”, estrelado pela ganhadora do Oscar, Meryl Streep.

Segundo as notícias, na cidade de Manchester, que é onde surgiram as primeiras iniciativas do movimento sufragista, foram programados três eventos de grande porte. O primeiro aconteceu no mês de março e foi chamado de “Wonder Woman 2018”, o qual contou com debates, exibições e apresentações artísticas sobre o tema em vários pontos da cidade.

Um dos grandes destaques desse evento foi a exposição “She Bangs The Drums”, que ficou exposta no Museu da Ciência e Indústria de Manchester. Durante essa exibição, os visitantes tiveram a chance de assistir a uma performance de teatro que recriou com maestria a história das mulheres que revolucionaram a democracia da Inglaterra no início do século passado.

Além disso, o People’s History Museum, também na cidade de Manchester, colocou em exibição desde o início de junho uma coleção de artigos históricos que foram usados pelas sufragistas no ano de 1908, que incluem broches, banners e cartoons. Por outro lado, a casa Pankhurst Centre, que é onde ficava a residência da líder do movimento sufragista britânico, Emmeline Pankhurst, está promovendo vários eventos e workshops em comemoração ao centenário.

Na capital Londres, por sua vez, o Museum of London manterá em exibição até fevereiro de 2019 a exposição “Votes for Woman“, a qual é formada por várias atividades interativas com foco no público de todas as idades, incluindo jogos, banners, workshops e conteúdo histórico sobre a origem do movimento e como ele foi importante para a sociedade britânica.