Moda ao alcance de todos: Donata Meirelles explica como se vestir bem ajudando o próximo

As roupas exercem grande importância dentro de qualquer sociedade, de modo que estas podem se relacionar diretamente com a cultura presente em um dado local. Donata Meirelles, empresária atuante no segmento fashion, aborda o fato de um tipo de comércio ter tido grande destaque nos últimos tempos: o brechó. Embora a ideia de vender roupas usadas ser antiga, este tipo de empreendimento ganhou novos formatos, destaca a empreendedora brasileira.

A empresária explica que há na prática do brechó uma espécie de ciclo do bem, onde todos na cadeia de comercialização dessas roupas são beneficiados. O principal benefício consiste no fato de possibilitar com que as pessoas consigam adquirir peças de alta qualidade, de maneira muito mais em conta. Ela destaca o fato da boa conservação das roupas ser vista como um diferencial positivo quando se trata de brechó, uma vez que a clientela se mostrará muito mais animada com isso.

Se os brechós possuem um viés social, já que possibilitam a compra de peças variadas a preços bastante acessíveis, é importante destacar o benefício que tal prática pode conferir ao meio ambiente. Donata Meirelles esclarece que a reutilização de roupas evita o desperdício de itens em bom estado, o que reduz consideravelmente o impacto sobre a natureza. Isso também pode ser avaliado em razão de ciclos de produção que passam a ser reduzidos a partir do novo emprego dado à essas roupas.

A empreendedora atenta para a questão da economia, que passa a ser mais movimentada em face da abertura de novos brechós. Ela aponta que a prática faz com que haja grande circulação de capitais em um dado país, como o Brasil, por exemplo. Em geral, as roupas comercializadas podem até mesmo ser revendidas, ampliando o número de agentes envolvidos nas transações.

Outro aspecto que Donata Meirelles menciona diz respeito à geração de empregos a partir dos brechós. Alguns desses estabelecimentos são abertos em épocas em que as pessoas sentem maior dificuldade em se recolocarem profissionalmente. Há outros casos em que o que se procura é um complemento para a renda já existente. E há também os brechós realizadas pela internet, em que os vendedores combinam todas as etapas de venda através do ambiente virtual, acrescenta a empresária.

Os estilistas costumam fazer releituras de peças ou acessórios que foram destaques no passado, cita a empreendedora. Os brechós, por sua vez, são uma importante oportunidade de se adquirir peças que são consideradas relíquias. Desse modo, quem compra nesses estabelecimentos acaba tendo a chance de fazer composições únicas, já que muitos itens vendidos são escassos no mercado.

Donata Meirelles menciona uma importante atitude em relação às roupas que podem ser vendidas em brechós: a conservação. Assim sendo, a empresária informa que somente peças em ótimo estado de conservação devem ser postas à venda. Caso contrário, a clientela poderá se sentir desmotivada e ir comprar em outras lojas da concorrência. Ela também frisa a necessidade de se atentar para a disposição das peças em lojas físicas e para a qualidade das fotos, caso o brechó seja virtual.

Estudo sugere que anticorpos da dengue formam defesa contra o vírus da zika

Um novo estudo divulgado na revista Science revelou que pessoas que já foram diagnosticadas com dengue podem ter menos chances de contrair a infecção causada pelo vírus da zika. O estudo é um grande avanço sobre como o vírus da zika age no corpo, tendo sido liderado por Ernesto T. A. Marques, médico brasileiro que atua na Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos.

Nas notícias divulgadas, o médico brasileiro revelou sobre o estudo: “Em nosso estudo, vimos que pessoas com grande concentração de anticorpos contra o vírus da dengue também apresentam uma defesa em relação a infecção causada pelo vírus da zika. Comparado as pessoas que não tiveram dengue, os pacientes com altos níveis de anticorpos contra a doença tinham menos chances de serem infectadas pelo vírus da zika”.

O estudo é muito importante porque ele pode oferecer parâmetros para que os pesquisadores desenvolvam vacinas que possam prevenir o zika. De acordo com Marques, esse resultado indica que uma vacina contra a dengue poderia fornecer mesmo que de forma temporária uma proteção contro o vírus da zika. O resultado ainda proporciona uma perspectiva de prevenir a síndrome congênita do zika, mais conhecida como microcefalia.

Mesmo com os dados levantados pelo estudo, Marques salienta que é necessário provar todas as teorias para que o plano de prevenção seja colocado em prática. Se as teorias se mostraram reais, será possível se proteger do zika com uma simples vacina contra dengue.

Embora os anticorpos contra a dengue mostrem resistência contra do vírus da zika, as vacinas que existem atualmente só podem ser administradas em pessoas que já tiveram dengue. Ou seja, quem ainda nunca teve a doença não deve tomar a vacina contra dengue, o que vai contra a teoria do estudo que é a de imunizar principalmente as pessoas que nunca tiveram dengue, considerando que as pessoas que já tiveram dengue possuem alto nível de imunidade contra a doença.

Além desses dados, o estudo ainda revelou que a diminuição da epidemia do zika no Brasil só ocorreu porque um determinado número de pessoas desenvolveu imunidade capaz de interferir na eficiência da transmissão do vírus.

Oportunidade com amor pela profissão potencializa empreendedorismo

Empreendedores que iniciam o seu próprio negócio porque enxergaram uma oportunidade no mercado estão fazendo parte de um número que só cresce. Uma pesquisa realizada pelo GEM (Global Entrepreneurship Monitor) indica um crescimento no empreendedorismo por pessoas que aproveitaram uma oportunidade no mercado, diferentemente dos negócios que foram abertos por necessidade.

Estima-se que 61,8% dos empreendedores iniciaram um negócio pela  oportunidade . De acordo com a pesquisa, esse é o melhor resultado desde 2014, que demonstra um aumento crescente. No caminho da contramão as pessoas que iniciaram um negócio por necessidade representa 37,5% dos empreendedores, um número que representa uma queda. Esse perfil indica que negócios foram abertos por falta de possibilidade de geração de renda por um cargo.

Segundo a pesquisa, dois de cada cinco empreendedores são adultos. No Brasil, são aproximadamente 51,9 milhões de empreendedores. Entre o público jovem houve um aumento de empreendedorismo na faixa etária de 18 a 24 anos. De 2017 para 2018, houve um crescimento de 18,9% para 22,2%.

Em uma parceria com o Sebrae, o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), organizou uma pesquisa no Brasil, e que também foi realizada em 49 países. Participaram da pesquisa 2.000 empreendedores do Brasil na faixa etária 18 e 64 anos no ano de 2018, entre os meses de março e julho. Os empreendedores da pesquisa considerados têm algum envolvimento em um negócio que esteja iniciando, ou em um que já esteja estabelecido.

Os resultados da pesquisa mostram que a crise financeira não impediu que o empreendedorismo tivesse o progresso constatado. Com as iniciativas tanto dos jovens quanto dos adultos, a motivação e a empregabilidade tiveram crescimento que ajudaram a amenizar os efeitos negativos da recessão brasileira.

Um dos pontos principais no momento de empreender é se identificar com a área. Quando isso acontece, o empreendedor se sentirá mais realizado e executará tarefas do dia a dia com prazer e maior satisfação.

Um bom trabalho é o reflexo de um profissionalismo e o amor pela profissão. A melhor fórmula para ter sucesso é o amor pelo o que se executa, ingrediente fundamental para potencializar e acabar com qualquer crise em qualquer tempo.

Software de contabilidade para sua empresa

Se há uma parte do seu negócio que quase certamente lhe dará dores de cabeça (a menos que você seja uma startup de contabilidade!), é a contabilidade.

A rotina diária de consolidar dinheiro pode parecer um enorme inconveniente quando diminui sua capacidade de se aplicar em outras partes do negócio – e ter alguém a bordo para cuidar do dinheiro desde o primeiro dia pode ter implicações significativas para o próprio fluxo de caixa.

É aí que a TI pode ser uma ajuda massiva. Os sistemas de contabilidade e softwares de contabilidade, como o QuickBooks, o FreshBooks ou o Sage One, podem reunir todas as tarefas necessárias com mais frequência em um único aplicativo – o que significa que você e sua equipe podem acompanhar tudo conforme ele acontece. Analise seus recibos, categorize as entradas e saídas da sua conta bancária, configure a folha de pagamento – tudo feito de forma rápida e eficiente.

A chave de notícias da contabilidade é fazer “pouco e com frequência” – e se você receber uma notificação dizendo que precisa verificar as últimas cinco transações enquanto toma uma xícara de café, isso pode ser feito simplesmente. As ferramentas corretas de contabilidade podem poupar uma dor de cabeça mensal significativa – e podem ajudar a manter sua sanidade intacta quando o final do ano fiscal chegar.

Mercados de terceirização. Ok, então ‘terceirização’ não é tecnologia de TI como tal. Em vez disso, é a sua porta de entrada para as habilidades de TI que podem levar uma vida inteira para dominar de outra maneira – e quando você está começando, é provável que seja difícil, ou talvez até mesmo impossível, aceitar profissionais de TI.

Se você se deparar com um problema, seja algo relacionado à web – ou algo relacionado a hardware em toda a sua rede, há alguém online que pode ajudá-lo – você só precisa saber onde procurar.

Sites como PeoplePerHour, UpWork e Fiverr permitem que você acesse profissionais de TI que poderão solucionar seus problemas rapidamente – e o melhor de tudo é que você pode procurar por depoimentos de outras pessoas que já usaram o freelancer – o que significa que não há como esperar ao melhor.

As melhores práticas tornam a segurança perfeita da Internet

Hoje, as redes de TI em organizações de todas as formas e tamanhos são muito mais complexas do que eram há apenas cinco anos e cresceram organicamente ao longo do tempo. Frequentemente, eles são compostos de uma combinação de redes no local, redes móveis e serviços em nuvem. Infelizmente, em muitos casos, a proteção de segurança interna não acompanhou essas mudanças.

O crime cibernético é uma ameaça real que não deve ser ignorada e, como tal, o conselho abaixo o ajudará a implementar uma política de segurança eficaz e adequada às necessidades de seus negócios:

Atualização de software – Verifique se as atualizações de software e os programas antivírus estão atualizados. O malware está em constante evolução para aproveitar as vulnerabilidades no software, assim como correções que consertam esses pontos fracos. No entanto, essas correções são inúteis se as atualizações não forem aplicadas.

Educar os funcionários – Eduque sua equipe para nunca abrir anexos desconhecidos em e-mails ou clique em links desconhecidos. Pode parecer básico, mas as ameaças baseadas na Web e no e-mail estão crescendo muito rapidamente. No primeiro semestre de 2012, as infecções por malware na web cresceram 400% em relação a 2011, e os ataques por email cresceram 56% do primeiro para o segundo trimestre de 2012. Dizem que a tecnologia é tão boa quanto as pessoas que usá-lo e prevenir comportamentos que colocam seus sistemas em risco é fundamental.

Efetivamente lidar com trabalhadores remotos – Proprietários de pequenas empresas dependem cada vez mais de funcionários remotos e prestadores de serviços externos para ajudar na carga de trabalho, mas é importante gerenciá-los com segurança. Saber quantas pessoas estão acessando quais informações corporativas e de onde são essenciais para garantir a defesa de segurança de sua organização.

Cuidado com as mídias sociais – A mídia social pode ser um importante canal de marketing, mas o código malicioso é cada vez mais injetado em sites de redes sociais, incluindo links de aparência inofensiva, anúncios e aplicativos de jogos. No Twitter, os URLs abreviados tornam impossível reconhecer se os links são legítimos e o retweeting ajuda a espalhar as infecções.

A história do empreendedor brasileiro Guilherme Paulus

Uma coisa com a qual a maioria dos brasileiros pode concordar é que a vida de empreendedor no país é difícil, com inúmeros obstáculos que devem ser superados. No entanto, ser um empreendedor no Brasil também pode ser extremamente gratificante. Na superfície, o Brasil é um país onde a falta de capital de risco, altos impostos governamentais e uma burocracia instável proíbe os empreendedores de realizar seus sonhos de negócios. De acordo com o Banco Mundial em 2017, o Brasil foi classificado em 125° fora de 190 países ao redor do mundo na facilidade de fazer negócio categoria e 176° em começar um negócio.

Então como é que um empresário que é especializada em acomodações e turismo, como Guilherme de Jesus Paulus, pôde tornar-se tão bem sucedido em um país que ocupa a 131 posição em registrar uma propriedade, 170 posição em lidar com licenças de construção e 184º em pagar impostos? Certamente, com esses tipos de números negativos trabalhando contra empreendedores, Guilherme Paulus precisava de um plano no momento certo para realizar seus sonhos de negócios.

O Sr. Paulus aproveitou todas as oportunidades desde o início de seu plano para se tornar o líder de turismo e acomodações no Brasil. Ele formulou um plano que lhe permitiu ouvir pessoas, clientes, agências governamentais e acima de tudo seus pares. O Sr. Paulus acredita firmemente em ouvir e foi citado dizendo: “O primeiro conselho [que posso dar] é pedir conselhos”.

Nascido em São Paulo, Brasil, em 1949, Guilherme de Jesus Paulus tornou-se um dos empresários mais bem sucedidos do Brasil; graças a uma visão que ele nutriu e alimentou em sua mente quando criança. Quando jovem, o Sr. Paulus estudou administração de empresas na universidade e, com apenas 20 anos, aceitou um estágio na IBM.

Com a idade de 24 anos, Guilherme Paulus conheceu um funcionário do governo local chamado Carlos Vicente Cerchiari em 1972, que tinha uma idéia sobre a expansão e trazer o turismo para o Brasil. Paulus estava entusiasmado com a ideia, mas não tinha dinheiro para investir. O Sr. Cerchiari ofereceu um acordo de investimento para formar uma nova empresa chamada CVC, também conhecida como Operadora e Agência de Viagens CVC Tour Ltda, com o entendimento de que Paulus seria o homem por trás da operação do dia-a-dia. Os dois abriram sua primeira loja em São Paulo no final de 1972 e continuaram sua parceria por mais quatro anos antes de Cerchiari deixar as operações.

Como o Guilherme Paulus se tornou um sucesso nos negócios?

Há muitas razões fascinantes sobre como Guilherme Paulus se tornou um empresário e empreendedor de sucesso no Brasil . Primeiramente, sua visão de turismo no Brasil é sem precedentes. Por exemplo, a primeira loja CVC para a venda de passeios foi colocada dentro de uma rua grande em Santo André, onde um cinema atraía milhares de freqüentadores de cinema todos os dias. A colocação da loja não pode passar despercebida quando milhares de cinéfilos deixaram o teatro com visões de explorações, aventuras e fantasias que prevalecem nos filmes; A CVC estava lá para fornecer a próxima jornada de vida para essas pessoas. O Sr. Paulus trouxe uma visão para o país que aumentou o turismo do Brasil, colocando uma cara na empresa e, em suas próprias palavras, acredita que o turismo “foi muito embrionário. Nós quebramos o mercado.