Estudo revela que solteiro tem mais chance de ter demência que casados

Um estudo divulgado na revista Journal of Neorology Neurosurgery realizado por pesquisadores de uma universidade em Londres divulgou que os solteiros são mais predispostos a contrair demência do que os casados. Os dados são ainda mais alarmantes para os viúvos, que estão 20% ainda mais propensos a essa mazela, já os divorciados possuem o mesmo grau de risco que pessoas casadas. Esse trabalho contou com a participação de mais de 800 mil voluntários e abordou 15 tipos de estudos diferentes.

O trabalho explica que durante o casamento, o casal tende a adotar a estilos de vida mais saudáveis do que um solteiro. De acordo com os motivos apontados pela pesquisa para a demência estão elencados: estilo de vida sedentário, hipertensão, ausência de atividades físicas, obesidade e baixo estimulo intelectual. A maior manifestação da demência é o Alzheimer.

Outra justificativa abordada é o convívio social, que contribui para a criação da parte cognitiva do cérebro, pois casais normalmente possuem mais estimulação cognitiva do que uma pessoa que vive sozinha. A vida em matrimônio também aumenta a quantidade de iterações sociais.

Em relação aos viúvos, segundo a pesquisa, o luto contribui diretamente para contrair demência. Isso ocorre por causa do stress causado pela perda de um ente querido, que pode ser capaz de danificar neurônios da parte do cérebro responsável pela memoria hipocampo. E isso torna os viúvos mais vulneráveis até mesmo que os solteiros.

Os solteiros possuem aproximadamente 50% mais chances de ter demências que uma pessoa casada. A pesquisa mostra que indivíduos que possuem alguma limitação cognitiva e problemas de comunicação, possuem mais chances de não se casar, o que pode vir a agravar ainda mais o quadro.

No entanto, como o comportamento das pessoas tendem a mudar a cada geração, essas estatísticas pode se alterar. “Ficar solteiro tornou-se mais comum. Pode ser que pessoas solteiras nascidas na segunda metade do século 20 tenham menos características cognitivas e de personalidade incomuns”, um trecho retirado do estudo.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *