Estudo afirma a importância de utilizar esponjas novas na cozinha

Um estudo realizado pelos alemães sobre a proliferação de bactérias em utensílios utilizados na pia da cozinha, em objetos de limpeza, como rodos de pia, paninhos utilizados diretamente na pia e principalmente as esponjas de lavar louças, enfatiza a grande importância de se trocar a esponja de lavar louças em um período definido. O estudo também aconselha a não utilizar panos e outros utensílios na pia.

As pessoas de um modo geral acreditam que é dentro do banheiro que se encontra as maiores quantidades de bactérias em uma casa, mas isso não é verdade. Segundo um estudo, as bactérias estão contidas em maior número e potencial de risco na cozinha das casas. O estudo foi realizado na Universidade Furtwangen, localizada na Alemanha, afirmando que o lugar com a maior incidência de micro-organismos em uma casa, é a esponja de lavar louças e objetos que estão na pia, como panos utilizados e pequenos recipientes plásticos que guardam esses objetos.

“Ela possui uma maior diversidade bacteriana do que se imaginava anteriormente”, disseram os responsáveis pelo estudo sobre as esponjas de lavar louças. O estudo teve como critério 14 esponjas de marcas diferentes analisadas, e foi anunciado na revista Scientific Reports.

Mesmo que as pessoas tentem fazer alguma forma de profilaxia na esponja, isso não ocorre de fato, mesmo que seja utilizada água fervendo na esponja, os riscos de ainda haver bactérias existem e elas não são totalmente eliminadas de fato. Além de não ser aconselhado pelos cientistas qualquer forma de limpeza nessas esponjas, o fato de que elas podem acarretar bactérias letais em grandes quantidades, segue vários embasamentos científicos e normas técnicas já existentes antes deste estudo realizado na Alemanha.

“Então, nós sugerimos uma substituição regular das esponjas de cozinha”, afirmam os responsáveis pelo estudo. Essa mudança de esponjas deve ser realizado constantemente no prazo de uma semana. Entre as bactérias causadoras de doenças, foram encontradas bactérias com capacidade de resistência muito superiores a antigas análises já realizadas em outros estudos.

A troca deveria ocorrer, até porque, entre esses milhões de bactérias, algumas têm grandes potenciais de causar doenças. Elas tendem a se tornar mais resistentes com o passar do tempo e vão ficando cada vez mais fortes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *